https://cdn.explara.com/public/v_10.0/internal-flow/img/event-landing/default_header_img.png
Baile da Gaiola
Feb 9, 2020 - Feb 10, 2020
03:00 PM - 03:00 PM (Asia/Kolkata)
Penha, Penha
Penha,Brasil

O evento não é publicado pelo organizador. Por favor, entre em contato com o organizador para mais detalhes.

Problemas do relatório

Pois bem, a minha primeira experiência sexual havia criado uma certa cumplicidade entre minha sogra e eu, que, isso sim, não passava de furtivas olhares ou comentários em reuniões familiares, que, salvo para nós dois, eram absolutamente indecifráveis em sua autêntica mensagem para o resto de contertulios. Mas, o que menos ela eu eram as vontades que ainda eu tinha a minha sogra... O dia 9 de setembro de 2000, saí de dúvidas.

A tarde daquele dia inesquecível eu encaminé a casa dos meus sogros onde, acreditava eu, estavam esperando a minha mulher e os meus filhos:

– Boas...! — gritei ao abrir a porta, como fazemos todos habitualmente, para anunciar a nossa chegada.

– – – Passa! — ouvi a voz da minha sogra, a partir da área dos quartos.

– – Fechei a porta e, enquanto me encaminhava para o lugar de onde vinha a voz, comecei a dizer:

– – – Mas, você ainda não voltaram?.

– – – Não, acabou de telefonar e dizer que o avô — é assim que chama a minha sogra para o seu marido quando você fala com sua filha ou comigo — ainda tem coisas a fazer.

– – – Pois eu trazia algo de pressa — eu comecei a dizer –. Tinha que ir …

– – Não me saíram mais palavras, ao empurrar a porta do quarto de meus sogros enmudecí. Minha sogra estava deitada meio de lado na cama. O roupão de cetim rosa, intencionalmente aberto, deixava ver sem modéstia o seu bem preservado corpo: os seios, presa em um sutiã de renda, com furtivos reforços, se erguían mais túrgidos e provocativos; um minúsculo fio dental deixava a descoberto por completo sua bunda enquanto cobria com precisão milimétrica os cachos de seu cuidadísimo púbis, tudo isso unido a um rosto discretamente moldado, evidenciaba longos minutos de ensaio para adotar aquela pose.

– – – Você não vai passar — eu sorri.

– – – Mas,... e isto ... — eu não sabia o que dizer.

– – – Pois, "isso", é que, no dia em que me ajudaste a limpar fiquei com vontade de repetir,... mas de outra forma — levantou-se e, ao aproximarem-se do meu eu notei como inspirou profundamente e metia a barriga para abrilhantar ainda mais seus seios –. Desta vez não estou suadas ou sujas,... mas espero que tu me acabar contaminando e derretendo — sussurrou de forma voluptuosa.

– – Sem me deixar responder, já ao meu lado, me deu um beijo lascivo e, ao mesmo tempo em que introduzia sua língua na minha boca, fazia o mesmo com sua mão na minha braguilha.

– – – Uau! — exclamou — vejo que já está preparado.

– – – A mulher...! — eu respondi, atordoado ainda — como é que você quer que esteja?.

– – Mas minha sogra já estava no disparadero e não atendia. Com um suave movimento de ombros, inclinou para trás o roupão e este deslizou ligeiramente até seus pés. Ajoelhou-Se sobre ele e, sacándome o pau da calça, começou a me realizar uma enorme buceta.

– – Com terno primor, foi introduzido por diante os ovos em sua boca, depois, percorreu com a sua língua úmida meu endurecida tranca, mais tarde, chupou, com inusitada delicadez, glande e, finalmente, engoliu "tudo" até o fundo de sua garganta,…

– – Oh, deus!, eu não sei quantas vezes fez estas manobras,…

– – – Eu não aguento mais! — lembro-me de que atiné a dizer.

– – – Pois, e não te demores — articulou entrecortadamente, sem tirar o meu membro na boca– . Ainda há muita tarde.

– – Então, um conhecido e delicioso arrepio percorreu minha coluna. Minhas nádegas subscritos, segurei-a com as duas mãos a cabeça da minha sogra e fui depositando, em leves investidas, uma, duas, três, até quatro pequenas descargas de meu tibia leite. Ela nem pestanejou. Engoliu o espesso líquido e, erguendo seu olhar me disse:

– – – ¡Mmmm! parece que a minha filha se tem um pouco abandonado.

– – – Sim –eu sorri, enquanto mentia.

– – A partir desse dia, é de quem herdou sua fogosidad meu hot pequena mulher.

– – – Bom, enquanto se recupera, vou preparar um café.

– – Eu recebi o amassado roupão de banho e fiz nenhum movimento para ajudá-lo a torná-lo,…

– – – Não há falta — sorriu de novo.

– – Ao sair da sala, meus olhos seguiram o gelatinoso temblequeo de seu safado bunda. Quando ele voltou, eu a esperava completamente nu sobre a cama de casal.

– – – Vá formosura! — eu piropeó enquanto aproximava a bandeja com o café fumegante.

– – Eu Me levantei e a ajudei a posarla na próxima mesa. Minha sogra estava com sua perpétua sorriso, assim que, me encorajei, eu coloquei uma mão sobre seu ombro e deslocando-o de todo desci a alça de seu sutiã, eu puxei ele com mais decisão e a sua teta direita ficou liberada. Parei, bebi, com parcimônia, um gole de café e, sem chegar a engolir, aproximei minha boca ao seu mamilo e o bañé calorosamente enquanto minha língua retozaba com ele.

– – – ¡Aaah, você é incrível! — ela sussurrou, inclinando-se para trás de sua cabeça.

– – Não esperei mais, deitou-se de bruços na cama e pedi-lhe que erguesse sua bunda. Retirei com cuidado a tirilla traseira da calcinha e comecei a percorrer com minha língua em seus dois buracos: ora minha língua ia ao seu ânus, ora a sua buceta. Ela gemia de prazer e eu notava que minha virilidade voltava a se apoderar de meu falo. Chupou, mastigado, babé, fiz uma e outra vez minha língua em suas suculentas profundezas....

– – – Não resisto mais! — gritou ela, exausta.

– – Entendi a mensagem. Eu rapidamente me ajoelhei e separando tudo o que pude suas nádegas introduzi meu pau o mais fundo de sua planta cresce melhor em zonas buceta. Em seguida, menos de uma mão para a mesinha e introduzi meu dedo indicador e o coração na xícara de café que ela não tinha testado. Após embadurnarlos bem com o líquido morno, se os embutí-se pouco a pouco em sua bunda.

– – – Você vai Me destruir!

– – – Não era isso que você queria –eu respondi.

– – Deitei-Me como pude sobre ela e, sem deixar o casal mete e tira, hurgué com a mão livre. Afastei a parte dianteira do fio dental, rebusqué entre a rizosa pelambrera e quando ele gritou de novo, reconheci seu volumoso clitóris.

– – – ¡- Me mates ... me mata de prazer ...! — repetia uma e outra vez.

– – Eu estava a ponto de explodir outra vez e, a sua furado e aumente buceta me pareceram muito menos apetecíveis que sua apretadito bunda. Então, tirei meus dedos e apontando para o meu pau no lugar certo entanto, de um só golpe toda a minha dura pênis até que meus ovos bater suas nádegas macias.

– – – Ah, você me machucou! — gritou, sem muita convicção, tentando revolverse.

– – – Calma, ... espera um pouco — sussurrei para ele com firmeza de sua orelha, enquanto, apertando minha barriga contra sua bunda e recostando todo o meu corpo sobre o seu dorso, a inmovilicé.

– – Revolví de novo entre seus cachos e, ao ouvir de novo um gemido de satisfação, cejé de pressionar e comecei um suave mete e tira, que acelerei pouco a pouco. Aquilo sim que era outra coisa, meu pau recebia uma suave, mas firme pressão em toda a sua extensão. Pena, pensei, não poder agradecer a meu pai o nulo uso que tinha feito a entrada posterior de sua mulher.



xvídeos
Marcia Imperator
xvidios encesto
Hentai
Xnxx
Pornhub
Redtube
Samba porno
Videos porno
Filmes porno
Buceta
Videos Amadores
Sexo Grátis
xvideosporno
Sexlog
Sexo em família
Video x
Disk Sexo Grátis
xvedoas
sextreme
xvidios
xvodios
xv videos
Julia paes pelada
Sexo Brasil

– – – Ponte de joelhos com cuidado –sugeri, e apoiando minhas mãos em ambos os lados de seu corpo, conseguimos, sem ter que tirá-la, que se pusesse de quatro pés. Não pude aguentar mais, minha mãe apoiou-se sobre o cotovelo esquerdo e prolongando a mão direita começou a bater desenfreadamente entre gemidos. Enquanto eu, em pânico também, não parava de empurrar meus quadris, uma e outra vez contra a sua enorme bunda. Primeiro explodiu ela, e ela caiu exausta sobre seus seios, mas esta postura forçou-o de modo especial a elevação de sua bunda e a visão do meu pau entrando e saindo de tão dilatada buraco fizeram com que uma grosseira excitação invadiera tudo e corpo, e eu estourei em um impressionante orgasmo.

– – – ¡Toma, toma e toma ...!– era muito pouco original, mas não me ocorre outra coisa que seja.

– – – Sim, sim, sim, ... que bem o faz, puta! — também não era muito imaginativa minha sogra.

– – (.....)

– – Três horas mais tarde, sentados na mesa da cozinha, com toda a família, não elucubramos nada de especial.

– – – Então, não vos foi importado que nos tenhamos atrasado? — perguntou pela quarta vez o meu sogro.

– – – Não, não, não, não ... já te disse mil vezes, né? — disse minha mãe caminhando um olhar cúmplice.

– – – Pegue! — toma, toma, toma ... pensei, mas depois carraspear respondi absolutamente convencido– Nunca me fez tão curta uma espera.

  1. ​Penha,
    Penha,
    Penha, Rio de Janeiro, Brasil


Rever

Organizador : Pietra Specter

Pietra Specter

Explara uses cookies to enhance your experience. By using our site, you agree to our privacy policy.

Baile da Gaiola

Pergunte ao organizador

Denunciar spam ou problemas